Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bike Azores

A visão de um ciclista açoriano sobre as bicicletas e o ciclismo.

Bike Azores

A visão de um ciclista açoriano sobre as bicicletas e o ciclismo.

Espelho meu, espelho meu...

Os números podem ser referências importantes. Até podem ser um impulso motivador ou aquele pormenor para continuar em frente. No entanto, enquadrar os números em dietas é falar em balança. E aqui já não considero terem assim tanta relevância!
As pessoas gostam muito de falar em dieta, em fazer dieta. Para mim, dieta é a minha alimentação comum, a que faço todos os dias, a que tento que seja equilibrada e saudável. O que normalmente consideram dieta entendo por dieta restritiva, já que implica sempre cortar (demasiado) em alguns dos macronutrientes, essencialmente nos hidratos de carbono e nas gorduras.
Numa aposta num corpo melhor, é normal atribuir demasiada importância à balança. Quando o melhor conselheiro é sem dúvida o espelho! Os números podem servir de referência, mas a verdadeira imagem do nosso corpo é transmitida pelo espelho. De pouco serve a balança indicar valores mais baixos se o nosso corpo apresenta um nível de gordura elevado; De pouco serve termos batido um recorde na perda de peso e o espelho refletir uma imagem de um corpo flácido e pouco são; De pouco serve ficarmos afetados se a balança não responde de acordo com as nossas expetativas…
Para além de achar os números da balança subjetivos, tendo por base situações regulares, não acredito em dietas restritivas com resultados repentinos, nem nos emagrecimentos só envolvendo químicos e intervenções pouco naturais, tal como não acredito em dietas sem a componente exercício físico. Portanto, não acredito nem em milagres nem na obtenção de resultados sem esforço! E também não me revejo num processo de mudança corporal que tem unicamente por base a vertente estética, desprezando a vertente saúde!
A alimentação e o exercício físico são temáticas tão vastas como interessantes. Depois de envolvidos nas mesmas temos uma maior capacidade para tirar proveito delas em benefício próprio. Convém usar de algum discernimento e capacidade de interrogação para evitar muitos preconceitos e mitos que continuam a ser defendidos como se de verdades inquestionáveis se tratassem!
Traçados os objetivos, é altura iniciar a marcha no sentido da sua concretização, com todas as estratégias e apoios tidos como apropriados, para ver uma evolução gradual e consistente que nos motiva, que nos assegura o foco, que nos faz seguir em frente obstinados. Acima de tudo interessa sentirmo-nos bem física e psicologicamente.
A partir daqui é tirar a roupa, colocarmo-nos em frente ao espelho e ver... Até é permitido fazer alguma pose e num momento íntimo de narcisismo puro, perguntar: «Espelho meu, espelho meu, existe alguém mais em forma do que eu?»

Suplementos alimentares!

Os suplementos ainda são vistos com algum preconceito, principalmente por quem não conhece minimamente este mundo. Quando se vê alguém tomar algum tipo de suplemento a tendência é relacionar as suas conquistas físicas a este facto. É algo redutor. Menosprezando a capacidade e a vontade dos outros apazigua-se o nosso íntimo… «ah logo vi, ele consegue fazer aquilo porque toma isso…». Como se os suplementos fizessem milagres!
Não fazem milagres, mas ajudam. Ajudam essencialmente quando a intensidade e a regularidade dos treinos aumenta. Para compensar as nossas falhas alimentares, a aproveitar melhor o nosso treino físico e a acelerar a recuperação do nosso corpo. Conseguem por exemplo, fornecer macronutrientes essenciais, como é o caso da proteína, de uma forma rápida, prática e saborosa. Tal como ajudam no ganho de massa muscular, aumento de força, na queima de calorias, etc.
Um conhecido ‘bodybuilder’ nacional diz que os suplementos são a cereja no topo do bolo. Acho o mesmo. Mas para colocar a cereja é preciso ter o bolo. E o bolo é a clássica combinação: alimentação, treino e descanso. Basicamente, os suplementos têm de ser merecidos!
Suplementos como multivitaminas e sais minerais são banais e tomam-se de uma forma natural desde a infância. Quando se entra nos suplementos ligados ao rendimento físico e desportivo, com o crescimento muscular à cabeça, a coisa muda de figura. Mas esta realidade tem vindo a mudar. Desde logo esta é uma enorme e competitiva industria que vale milhões. Com o crescente interesse e preocupação ao nível físico, os suplementos têm tido muita procura. O consumo de suplementos democratizou-se, tanto são consumidos pelo mais medalhado atleta profissional, que até é patrocinado por uma marca, como pelo novato que se inscreveu há um mês no ginásio. Também aqui não há lugar a diferenças de género, e para além dos produtos gerais existem marcas que têm linhas específicas para praticantes femininas, que por sinal estão também muito atentas a esta temática.
Podem não ser imprescindíveis, mas acho que merecem alguma atenção, até porque no caso, está em causa o nosso corpo e a nossa boa forma.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D