Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bike Azores

A visão de um ciclista açoriano sobre as bicicletas e o ciclismo.

Bike Azores

A visão de um ciclista açoriano sobre as bicicletas e o ciclismo.

Vida de bicicleta!

Lá vem ele. Sempre que está vestido com aquelas roupas esquisitas e apertadas vem-me buscar. Acertei. Pega-me com algum cuidado com as duas mãos, uma na minha forqueta, outra no lado posterior do meu triângulo traseiro. Eh pá, não! Encostou-me à parede e traz a bomba. Detesto aquela bomba! Então não é que me atesta os pneus com tanto ar que quase os sinto rebentar? Como é que não percebe que é ar a mais? Caramba! Colocou o capacete, as luvas e os óculos, lá vamos nós, porta fora. Ai… Ai… Podes encaixar os sapatos nos meus pedais mais devagar, se faz favor? Vá lá que os calções esquisitos têm uma almofada por baixo, que este gajo ainda é pesado! Olha a descida. Vai devagar que ainda estou a despertar, ok? Com este menino é tudo à bruta, mas deixa chegar aquela subida que já vamos ver quem é mais esperto! Então? Parece que o menino perdeu a força. Querias umas mudanças agora não era? Não tenho, temos pena! Mas já não sei o que é melhor... Está a fazer tanta pressão nos meus punhos e a carregar-me os pedais com tanta força, que quase me rebenta a corrente. Ufa, estou cansada! Agora terreno plano, é só rolar. Olha a lomba, a lomba! Já sei, vai saltar e as minhas rodas que se lixem! Agora afaga-me as manetes de travão, vá lá, vamos parar. Sim, não parece mas também preciso descansar. Espera aí, estás a ver aquele passeio não estás? Pssst, o passeio! Vá abranda, para e desmonta. Queres ver que ele quer subir o passeio? Autch! Sentiste a pancada que a minha roda traseira deu? Eu senti. Depois queixa-te. Já sei que, as minhas queixas não as ouves e só lhes ligas quando as mostro! Chegámos. Eh pá, já para o suporte? Nem um paninho para me tirar o pó? Sinceramente, já não és o que eras! Olha, faz como quiseres, mas espero que amanhã ou depois te lembres de mim. Muito aguenta uma bicicleta. Isso é que é. Senta-se em cima e a faz o que muito bem entende. É a minha vida... Vida de bicicleta!

Roubaram-lhe a bicicleta!

Sábado, o sol mostra-se lá fora, pequeno-almoço relaxado, algumas tarefas domésticas e a tão desejada ida à praia. Bicicleta fora da garagem, mochila às costas e capacete apertado, e lá vai ela descontraidamente entre o fresco da brisa matinal e o calor dos primeiros raios de sol.
É uma rotina nem sempre rotineira, mas depois de vários anos em que não usufruiu nem da bicicleta nem dos caminhos que circundam o local onde vive, é agora um prazer fazer-se à estrada montada no seu cavalo de ferro - a sua bicicleta! Pacifica, calma, despretensiosa.
A toada calma motivada pela falta de pressa e pelo apreciar do ambiente à sua volta levam-lhe ao seu destino, mas que por si só, já vale apenas pelo percorrer do caminho. É que se há meio de transporte que permite isso mesmo, é a bicicleta!
Os constrangimentos surgem na chegada, já que o local de estacionamento para as bicicletas para além de mal localizado, longe da vista e remetido a um canto, é totalmente inapropriado a quem preserva minimamente a sua bicicleta, daqueles “empena rodas”, em vez de simples U’s invertidos…
Desta vez, estes constrangimentos estavam ampliados, pela memória de neste mesmo local e umas semanas antes, lhe terem roubado da bicicleta o selim e demais acessórios associados! Assim, fez por deixar a sua querida bicicleta presa, o melhor possível, mesmo que o dispositivo para o efeito não fosse o mais robusto que havia.
Tentou não pensar mais nisso e desceu ao areal, ávida de um banho naquele límpido mar salgado, seguido de um confortante repouso embalado pelo calor que o sol emanava…
Nisso, recebe uma chamada:


- Onde estás?
- Na praia.
- Onde está a tua bicicleta?
- No parque de estacionamento.
- Não está não!
- Como não está?
- A tua bicicleta não está aqui!
- (Silêncio…)
- Já me roubaram a bicicleta!
- …


Qualquer semelhança com a realidade NÃO é pura coincidência!

Bicicletas: 4 em 1

Passeio de bicicleta Lagoa ComVida
Sábado, participamos num passeio de bicicleta em família promovido pela Câmara Municipal de Lagoa. As condições climatéricas pouco amigáveis quase o ponham em risco e afastaram muitos dos possíveis participantes, mas por outro lado, tornou esta atividade bastante simpática e intimista. Pouco ritmo e poucos quilómetros, por algumas vias litorais e centrais deste município. Fomos brindados com uma t-shirt alusiva e um substancial lanche. De tal maneira, que acabou mesmo por ser o nosso almoço, depois de despedir-nos do grupo e esticarmos o passeio para os lados das praias do Pópulo.


Partilhar a via
Quero acreditar que os automobilistas estão cada vez mais conscientes e sensibilizados para a presença das bicicletas e dos ciclistas na estrada, mas ainda recentemente, fiquei com a impressão que uma boa parte dos automobilistas que se cruzaram comigo/connosco, agiram motivados pela insensibilidade, impaciência e intolerância!


Bicicleta + Cidade = Oportunidade
As bicicletas continuam a ser consideradas como empecilhos, geradoras de atrasos e congestionamento na circulação, em vez de serem encaradas como parte da solução, para a redução do tráfego automóvel e da poluição em ambiente urbano. Que por sua vez levam à maior fluidez de circulação e ao aumento da qualidade de vida e saúde. Mais uma bicicleta, menos um carro. As bicicletas são uma oportunidade a vários níveis, de fazermos mais por nós, pelos outros e pelos locais onde vivemos.


Selins
Nos últimos dias andei às voltas com selins. Pesquisei, comparei, olhei, apalpei, pensei, hesitei e até experimentei… Várias voltas e optei por um “velho” conhecido. Já são dois lá em casa. O mais simples e acessível, e pouco confortável à primeira vista, mas que quando em cima dele é o que menos faz notar a sua presença. E quanto menos dermos pelo selim melhor. É bom sinal.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D