Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Bike Azores

A visão de um ciclista açoriano sobre as bicicletas e o ciclismo.

03.11.17

Azores Challenge Granfondo – A minha participação! (Parte 4)


Rui Pereira

(Continuação!)
Ufa! Esta relato está tão descritivo e realista (e comprido) que até estou a ficar cansado. Ah não, se calhar é porque vim agora de uma volta de bicicleta. Seja como for, estamos na reta final.

Estava determinado a compensar o atraso da asneira feita, só que fui traído por uma dor na perna direita. O que a nossa mente inventa quando está desocupada! Bastou a primeira distração e nunca mais senti dor nenhuma. Continuei. Descer a Duarte Borges sem preocupações é outra coisa. Agora era ir a rolar até à meta, altura em que me cruzei com alguns participantes que já tinham finalizado e já estavam de regresso. Bom sinal, presumindo que, por exemplo quem vinha de automóvel, já tinha trocado de roupa, acondicionado a bicicleta e respetivo equipamento, almoçado, trocado bitaites com os colegas, feito a sesta, trocado sms com a cara-metade, e eu ainda estava a caminho…
Finalmente… cheguei! Fui recebido com um «está feito!» na meta e mais à frente com uns «parabéns» da parte de uma menina que me decorou o peito com a medalha de participação (Eu sei, “finisher”, mas já não disse que não gosto de estrangeirismos?). Uma coisa é certa, a medalha foi muito bem conseguida. Até estava meio preocupado não fosse sujá-la, uma vez que tinha a roupa bastante seca e limpa, como se pode imaginar.
Lá estava o meu colega. O tal da descida do Canário. Breve troca de palavras, busca de um local seguro para encostar a bicicleta (vi para lá algumas que caíam que nem tordos!) e aguardar a vez na fila para o frango (e fofa) do almoço volante. (Porquê volante? Fui pesquisar ao Priberam e uma das definições do adjetivo é “que cada qual come onde quer”. Esclarecido!)
De repente dei por mim a consultar a lista das classificações… Porquê? Não sei. Peço desculpa.
E fico-me por aqui... Apenas acrescento que o nível de satisfação motivado por este evento ciclístico fica patente no número de palavras que dediquei ao mesmo.

Domingo à noite em casa.
- Se me perguntassem se preferia ir trabalhar amanhã ou fazer o percurso do Granfondo, respondia logo que ia fazer o Granfondo!
Ao que obtenho como resposta:
- E se me perguntassem se preferia ir trabalhar amanhã ou ficar todo o dia em casa a fazer comida (nota: não é exatamente uma atividade de eleição), respondia logo que ficava em casa!
?!... Mas isso não tem nada a ver - pensei para mim…

Até para o ano (espero eu)!

medalha_gf.jpg