Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bike Azores

A visão de um ciclista açoriano sobre as bicicletas e o ciclismo.

27.09.08

Ligação à Terra


Rui Pereira

Fui questionado por um colega, sobre a duração dos pneus das nossas motas. Ele por acaso tem uma mota muito semelhante à minha, faz percursos parecidos, utiliza as mesmas medidas e marca de pneus e tem uma condução teoricamente mais tranquila, mas os pneus dele para a quilometragem que possuem, em comparação, apresentam um maior desgaste do que os meus!
Não foi difícil chegar à conclusão que o problema era a simples falta de manutenção. A nossa grande diferença é que eu verifico o estado e a pressão dos pneus frequentemente e ele só se lembra deles nas revisões periódicas, em caso de furo, ou quando já estão a pedir substitutos.
Mesmo com a grande quantidade de informação existente e consequente despertar de mentalidades, a importância dos pneus, no caso das motas, ainda continua a ser subestimada por muitos, pois não é raro ver atestar a sua condição, com a subtileza de um aperto de polegar, ou com o tradicional biqueiro!
Não valerá a pena estar aqui a dissecar as propriedades/características/funções dos pneus, até porque são cada vez mais vastas as suas gamas e as diversidades existentes, mas convém ter presente um princípio básico, mas revelador da sua importância:
São estes círculos de borracha sulcada, com escassos centímetros de piso, calibrados com ar, que nos ligam ao solo!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.