Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bike Azores

A visão de um ciclista açoriano sobre as bicicletas e o ciclismo.

04.10.16

Suspensão total


Rui Pereira

Os acontecimentos ciclísticos dos últimos dois fins-de-semana fizeram-me “desenterrar” a BTT e trazer-lhe para a estrada e para os trilhos novamente. Alheia ao facto também não será a pressão familiar que tenho sofrido para algumas incursões na terra, já que este é um gosto partilhado, do qual apenas me tinha voluntariamente afastado.
Se é certo que a minha disponibilidade para uma participação efetiva em eventos mais sérios é diminuta, cada vez mais avesso a compromissos que estou, também não é menos verdade que não sou indiferente aos mesmos.
De facto, o BTT é muito cativante e pode ocasionalmente não manifestar-se, por quaisquer circunstâncias de determinado momento, mas que deixa marca e que está sempre lá é inegável. E que desperta logo que estimulado.
Noutro tempo, não muito longínquo, não seria difícil encontrar um grupo de carolas para me encaixar, hoje, alguns destes foram autopromovidos a “atletas”, outros mudaram de segmento, outros ainda, simplesmente arrumaram os sapatos de encaixe e encostaram a bicicleta. E eu fiquei a rolar assim mais ou menos pelo meio… Sozinho!
Vou ter de intercalar as suspensões com os pneus fininhos, mesmo que de forma contida, mas por outro lado, é reconfortante saber que poderei ter uma muito próxima e entusiasmada companhia dentro em breve, logo que não haja mudanças radicais aos sinais atuais. Aguardo com serenidade e logo se vê…
A estrada é mais fria, mais solitária, mais direta, e isso serve melhor os meus propósitos e circunstâncias atuais, mas para ter gozo a sério em cima de uma bicicleta dêem-me terra e pedras, dêem-me pneus grossos cardados e uma suspensão total…

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.