Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bike Azores

A experimentar o verdadeiro sentido da palavra liberdade!

06.06.16

Quantos quilómetros?


Rui Pereira

- Fizeste quantos quilómetros?
- Não sei.
- Como não sabes?
- Não, não sei. Nem tenho conta-quilómetros!
- Não?!
- Não, não tenho.


Os números recebem uma atenção que no meu entender não merecem! Sejam os quilómetros a pedalar, sejam os quilos na balança ou nos halteres, e por aí a fora…
Neste momento é o que menos me interessa. As minhas saídas para pedalar numa das minhas bicicletas podem ter vários significados, agora referências numéricas é que não serão de certeza.
Não tenho tempo nem paciência para estar com estas coisas, no meu entender menores, quando absorvem a minha atenção, fazendo-me desviar da minha intenção basilar.
Quando ando de bicicleta busco satisfação e prazer instantâneos. É um momento de solidão e hedonismo. É um momento de reflexão e de introspeção. É um momento de desafio, superação, controlo e gestão. É um momento de descontração. É um momento só meu!
Para mim, é absolutamente irrelevante estar a obter referências futuras, para o que quer que seja, como por exemplo partilhar. Receber pancadinhas nas costas, reais ou virtuais, não faz sentido, quando a essência de tudo está no presente, no momento em que estou sobre o selim a pedalar, de forma calma a desfrutar da beleza de uma paisagem e do fresco da brisa, ou a debater-me com o meu cavalo de ferro perante aquele desafio que me propus ultrapassar.
Não quero estar a estragar algo tão significativo com intenções ou perspetivas futuras, quero vivê-lo intensamente, sem preocupações, no momento exato em que está a decorrer, sem correr o risco de tirar aquilo que tanto prezo nestes momentos, a sua espontaneidade! E que se houver alguma coisa digna de figurar no departamento das coisas para mais tarde recordar, a minha memória encarregar-se-á de fazê-lo.
Quero acabar a minha volta, onde apenas os números das horas interferiram levemente, com a sensação de prazer/dever cumprido, onde desanuviei a mente e exercitei o corpo, com uma única ideia no pensamento - Foi bom. Para a semana há mais!