Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bike Azores

A visão de um ciclista açoriano sobre as bicicletas e o ciclismo.

30.01.19

Waveboards


Rui Pereira

Como a grande maioria dos rapazes, sempre tive uma tendência para coisas com rodas. Carros, motas, bicicletas, skates...
Mas nisso dos bens materiais acho que temos de ser seletivos e não dispersar demasiado. Já passei por várias fases, mas concentrei-me nas bicicletas, pois é delas que realmente gosto e neste momento é o que faz mais sentido para mim.

waveboard1.jpg
Waveboards - O meu (parece que encolheu!), o nosso e o dele!


Recentemente abri uma exceção. Descobri os waveboards, por acaso. Uma espécie de skate com apenas duas rodas, que se movem com um movimento ondular, daí o nome. Uma espécie de surf a seco, digo eu.
Tudo começou com o miúdo na Decathlon. Todas as vezes experimentava um, tanto que lhe tomou o gosto e o jeito. Compramos um.
Certo dia decidi experimentar. À primeira impressão parece daquelas coisas que nunca vamos conseguir fazer, mas correu muito bem. Exige equilíbrio. Depois de interiorizar o movimento e a mecânica da coisa é fácil. Compramos mais um. E outro.

waveboard2.jpg
O Razor RipSurf - Muito bonito, mas traiçoeiro!


Já dei as minhas quedas e andei a “lamber” feridas (inclusive no ego) durante algum tempo, que isso da recuperação já não é tão ligeira como noutros tempos, mas o prazer que sinto sobre eles compensa o risco inerente.
Atualmente é daquelas coisas que gosto muito de fazer. E quando não estou a pensar em andar de bicicleta, estou a pensar em andar de waveboard…